Torna-te Padrão

I Timóteo 4:12

Como ser sal e luz? Como ganhar vidas para Jesus? Como enfrentar o mundo?

Podemos ver a carta de Paulo a Timóteo como orientações de um mestre ao seu discípulo, mas também podemos entende-la como orientações apostólicas à Igreja de nossos dias e esse será o nosso foco.

Tempos difíceis, não é? A chama da esperança vai se apagando e muitos começam a retornar as práticas mundanas vividas no passado; guerras, egoísmo extremado, vida de aparência, filosofias, religiões, aventuras amorosas, tudo isso na tentativa de dar sentido e significado ao vazio existencial em que se encontram. Esse contexto de sociedade era o mesmo quando o apóstolo Paulo escreveu para Timóteo. De lá para cá “só mudou” a tecnologia e a forma como os problemas se manifestam! Qual deve ser nosso comportamento então? Eis a orientação de Paulo: Seja padrão na palavra, no amor, na fé e na pureza1!

Ser padrão é um chamado a todos aqueles que desejam ver uma mudança genuína no contexto em que estão inseridos. Se eu quero que a minha família mude, preciso ser o primeiro a mudar; se eu quero que meu trabalho mude, preciso tomar as ações necessárias para que isso mude no meu setor, a começar por eu mesmo; se quero que a minha sala de aula mude, preciso ser o primeiro a incomodar os outros com as minhas atitudes corretas. Ser padrão, no contexto do que lemos, exige esforço diligente para ser diferente num meio onde todos nadam a favor da correnteza. É ser sal no meio dos insípidos, é ser luz no meio dos obscurecidos, é ser referência e dar testemunho do caráter de um Deus verdadeiro que habita em nós.

Deus forja pessoas em tempos diferentes para expressarem o Seu padrão, cujas as raízes estão na Sua Palavra. Basta dar uma olhada na “Galeria dos Heróis da Fé” em Hebreus 11, para perceber que a fé dessas pessoas na Palavra de Deus revolucionou a sociedade da sua época. Isso aconteceu porque não se conformaram (Rm.12:2) como os outros e foram uma “pedra no sapato” de uma geração acomodada e incrédula. Tinham mais atitude do que discurso!

Queres mudanças? Estás disposto a ser “padrão”?