Nova Criatura

“Eassim, se alguém está em Cristo, é nova criatura: as coisas antigas jápassaram; eis que se fizeram novas”. – II Coríntios 5:17-

O cristianismo tinha se tornado uma religião barata.

Temos aqui um versículo citadíssimo, e que é famoso com razão. Fala sobre a nossa transformação segundo a imagem de Cristo. Esse é o tema central bem como a mais profunda doutrina do evangelho.

Isso proporciona que possamos ver a nós mesmos e aos nossos semelhantes com a perspectiva espiritual correta, que se deriva dessa transformação realizada pelo Espírito Santo. Então, vamos perceber como é poderosa a obra de Cristo,pois consegue nos mostrar como o homem pode ser transformado.

“em Cristo” – exprime a relação que nós gozamos em Cristo.Há uma comunhão de nosso ser para com o ser de Cristo; e é através dessa comunhão que se processa a transformação do nosso ser, na natureza essencial de Jesus Cristo.

A fé cristã não consiste na mera fé em um credo, mas antes, de uma relação vital com Cristo, da transformação operada pelo Espírito Santo, do revestimento e participação final em tudo quanto Cristo é e tem.

“Um homem em Cristo” é a definição do apóstolo Paulo para um crente. Portanto, essa nova criatura consiste na formação da natureza essencial de Cristo no ser do homem, de tal modo que um indivíduo venha a participar da verdadeira natureza de Cristo.

O póstolo Pedro diz o seguinte:
II Pedro 1:3 e 4: Visto como, pelo seu divino poder, nos tem sido doadas todas as coisas que conduzem à ida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude, pelas quais nos tem sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis coparticipantes da natureza divina”.

O plano de Deus ao salvar-nos não é somete de tirar-nos do inferno, mas para que possamos dia a dia ser transformados na imagem de Jesus.

O Apóstolo Paulo foi aquele que fundou a igreja na cidade de Éfeso. A carta direcionada aos Efésios é profunda e espiritual, pois demonstra todo o cuidadode Paulo para com aquela igreja. Vamos verificar que ele dá um “puxão deorelha” por algumas coisas que estavam acontecendo, onde muitos que se diziam crentes ou cristãos, congregando na igreja, mas cujos procedimentos eram semelhantes aos não crentes.

Efésios 4:17 a 24 – “Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não andeis como também andam os gentios (pagãos),na vaidade dos seus próprios pensamentos, obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração, os quais tendo se tornado insensíveis, se entregaram a dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza. Mas não foi assim que aprendeste a Cristo, se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus, no sentido de que, quando ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências (desejos) do engano, e vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade”.

A forma como alguns estavam vivendo caracteriza a sociedade dos nossos dias – uma sociedade onde impera a “cultura da aparência”. Muitas vezes é semelhante a madeira toda bonita, envernizada, mas internamente está corroída pelo cupim.

Não andeis – sinaliza uma vida de negação. Não andem como os gentios (pagãos, não crentes).

O apóstolo Paulo dos versículos 17 a 19 ele mostra a forma como os não crentes(pagãos) se conduziam.

  1. Na vaidade dos seus próprios pensamentos – o que a palavra de Deus diz não tem importância, oque vale é o que penso, o que acho, a minha vontade, a minha autossatisfação. Refere-se a algo fútil, inútil e vazio.
  2. Obscurecidos de entendimento- desprovido de luz, em quem não entra a luz, ou seja, alguém que vive na escuridão e não tem entendimento no sentido de sentir, pensar, disposição. Sem significado.
  3. Alheios a vida com Deus – no sentido de ser estranho, alienado, separado da vida de e com Deus.

Isso se deve a três coisas:

a) Ignorância –carência/falta de conhecimento.
b) Dureza de coração –cegueira, insensibilidade, petrificação, ou seja, coração de pedra.
c) Insensibilidade – não tem sensibilidade para Deus e as coisas de Deus.

Tudo isso provoca  dissolução = tudo o que contamina a pureza. É desperdício, excesso desenfreado, podendo ser no linguajar, na arrogância,libertinagem ou sensualidade.

Paulo então fala que quem procede dessa forma, ainda que estando na igreja, não aprendeu, não foi instruído segundo a verdade em Jesus. Então ele recomenda:

> Vos despojeis dovelho homem –significa deixar de ser influenciado pelos hábitos e padrões de pensamentos adquiridos antes de conhecer a Cristo. Velho aponta para o que é antigo, ultrapassado.Quando dizemos que não queremos mais viver dessa forma.

Esse homem se corrompe segundo as concupiscência (os desejos, as inclinações) do engano.

> Renoveis no espírito do vosso entendimento – essa renovação que Paulo fala se refere ao interior, dentro, tendo entendimento, consciência que precisa mudar de mentalidade para viver uma vida com Cristo.

> Vos revistais do novo homem criado segundo Deus – renovados no espírito do nosso entendimento,estamos conscientes de que precisamos nos revestir de Cristo em nossas vidas,ou seja, de que as pessoas possam ver Jesus nas nossas vidas.

> Como isso se manifesta em nossas vidas:
1. Quando andamos em justiça, que quer dizer um coração atraídopor aquilo que é justo e repelirá na mesma medida o pecado. Significa no sentido interno, no qual o coração é reto diante de Deus e no sentido externo na observação da palavra de Deus.
2. Retidão procedentes da verdade – refletimos no nosso interior que somos participantes da natureza divina e externamente indicando um caráter moralmente puro.