Servindo A Seus Próprios Deuses

Estava fazendo minha leitura bíblica em Deuteronômio, que trata de Moisés dando as últimas instruções para Israel antes de entrar na terra prometida. E duas coisas básicas eram estabelecidas para que houvesse êxito no processo da conquista:

  1. Obediência absoluta aos mandamentos de Deus;
  2. Não se corromper com o costume dos povos que iriam ser conquistados, para que não houvesse envolvimento com os seus deuses.

Deus ministrou muito forte ao meu coração sobre a necessidade de obedecer, independente do sentir ou ver alguma coisa. A vida cristã é fundamentada em fé na Palavra de Deus. O fato de andar no deserto não quer dizer que estamos desamparados, antes, pelo contrário, estamos sendo trabalhados para propósitos maiores. Diante disso, o Senhor me levou a uma compreensão de um texto da Escritura que se encontra em 2 Reis 17:33 e ministrou profundamente ao meu coração;

De maneira que temiam ao Senhor e, ao mesmo tempo, SERVIAM aos seus próprios deuses…

Como isso pode acontecer: servir a Deus e aos seus próprios deuses, pois ninguém pode servir a dois senhores?

Existem pessoas sinceras, que temem a Deus, que oram, meditam e ensinam a palavra, aconselham bíblicamente, jejuam, pregam, ministram.

Como poderão pessoas desse nível também servir aos sEUs próprio dEUses? Não são deuses de gesso, madeira ou metal, pois isso é grosseiro demais, mas deuses que se instalam de forma sutil, imperceptível aos olhos naturais. São deuses que somente podem ser manifestos através da revelação do Espírito Santo, para tirar as pessoas do engano e conduzi-las ao propósito de Deus.

Como ainda existe temor de Deus no coração da pessoa, por sua misericórdia o Senhor a conduz ao arrependimento e a uma retomada espiritual com as motivações corretas.

Que deuses sutis e imperceptíveis seriam esses?

  • deus que fala em nome de Deus, mas que tem por objetivo roubar a glória que é dEle.
  • do conhecimento: o que me faz sobressair/controlar/manipular os outros. Me projeta, me faz sentir importante e até fazer acepção de pessoas. A mensagem, o ensino perde sua simplicidade e passa a ser rebuscada, técnica, “profunda”, porém se unção. O conhecimento toca a mente e traz informação, a unção toca o coração e produz vida. O conhecimento com unção produz vida com abundância.
  • deus do status, da posição.
  • deus da referência – ter uma igreja, um ministério que todos falem, se admirem e queiram saber qual o segredo do sucesso.
  • deus da catedral, do maior templo da cidade, do maior ministério – deus que mostra de forma material, palpável, visível o resultado alcançado.
  • deus da mídia – do pastor que escreve livros, grava cd´s, dvd´s, da igreja que está na TV, na rádio, no jornal.
  • deus da prosperidade – que está interessado que você tenha seu carro zero, de preferência importado, da(s) empresa(s) que você tem, pois isso determinará o quão abençoado você é.
  • deus da política – mostrará o nível de influencia do seu ministério e de sua igreja.

Ao escrever sobre este assunto não estou dizendo que essas coisas são más em si mesmas, ou ilegítimas, ou que devemos como igreja desprezá-las, mas cuidar para que isso não se torne uma armadilha que venha sutilmente corromper o nosso coração e querer roubar a glória de Deus.