Propósito e Processo – III

PARTE III – “O QUE FAZES AQUI?

Dentro do propósito de Deus e do processo pelo qual temos que passar, no ímpeto de correspondermos, podemos tomar iniciativas e fazermos coisas que Deus não nos mandou fazer. Por consequência, temos a frustração e muitas vezes desanimamos.Confundimos a nossa vontade com a vontade de Deus, porém “Estamos certos de que Deus age em todas as coisas com o fim de beneficiar a todos os que o amam, dos que foram chamados conforme seu plano” – Romanos 8:28 – Bíblia King James.

A pergunta acima é feita a Elias quando se encontrava num período de restauração,após ter passado por uma crise de depressão.

Ao fazer a pergunta, Deus queria que Elias expusesse aquilo que estava no seu íntimo e tivesse consciência do que estava acontecendo.

Elias entendia que tinha feito tudo o que Deus queria, entretanto, a situação em que se encontrava o fazia pensar que estava fora do propósito de Deus.

Vamos verificar que há momentos em nossas vidas que não são diferentes daquele que Elias enfrentou.

Precisamos entender que Deus investiu pesado em nossas vidas para que ele pudesse realizar o seu propósito através de nós. Porém, nossas escolhas e decisões podem nos levar a fazer coisas que não estão dentro daquilo que ele deseja.

Recentemente num Congresso uma irmã estava testemunhando que gostava de fazer artesanatos,em especial fazer flores, e gastava um bom tempo nesse trabalho. Um dia o Senhor ministrou ao seu coração dizendo: – Filha, eu tenho investido em você para realizar a minha obra, entretanto, você está gastando o seu tempo fazendo flores?!!

Você entende a preocupação de Deus para com as nossas vidas?

A pergunta hoje para você é: – O que fazes aqui? O que tens feito com o dom, o talento, a capacidade e o preparo que tenho te dado? O que tens feito com o que coloquei em tuas mãos?

Temos que ter cuidado para não nos perdermos em nós mesmos.

Gostaria de poder enfatizar algumas situações que podem nos levar a fazer coisas que nos levam a sair do propósito de Deus:

Situações traumáticas – I Reis 19:13 e 14 – “Ouvindo-o Elias, envolveu orosto no seu manto e, saindo, pôs-se à entrada da caverna. Eis que lhe veio umavoz e lhe disse: Que fazes aqui, Elias? Ele respondeu: Tenho sido em extremo zeloso pelo Senhor, Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram atua aliança, derribaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada; e eu fiquei só, e procuram tirar-me a vida”. são situações que mexe com a nossa estrutura e nos leva a questionar o caráter de Deus, e até mesmo duvidarmos de que ele nos ama e tem um propósito para nossas vidas. São situações onde perguntamos: – Onde estava Deus quando tudo aconteceu? Se ele sabe todas as coisas por que permitiu que acontecesse? Essa amargura no coração pode nos levar a desistir, chegando à conclusão de que não vale a pena crer em Deus. Então, nos esquecemos de todo o propósito e decidimos fazer coisas por conta própria, como se estivéssemos nos vingando de Deus, porque as coisas não aconteceram do nosso jeito.

Situações tóxicas- Salmo 73:13 – “Com efeito, inutilmente conservei puro o coração e lavei as mãos na inocência”. – esta é a experiência de Asafe quando começou a olhar a prosperidade dos perversos e a vida sem preocupações.Esta também é a experiência de muitas pessoas de Deus, e isso as leva a questionar sobre a justiça de Deus. São pensamentos, palavras, sentimentos tóxicos que penetram em nossa vida, tornando-nos vulneráveis e acabamos sendo contaminados pelas situações, pessoas e pelo próprio inimigo das nossas vidas.Consideramos que não vale a pena estarmos nos esforçando para obedecer a Deus,pois não vemos resultado material da nossa dedicação. Isso pode fazer com que abandonemos tudo e vivamos como as demais pessoas. Situações tóxicas podem nos levar a fazer coisas que desagradam ao Senhor e nos tiram do seu propósito.

Situações inflamatórias –“Hoje se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração…” – Hebreus 3:15 – Isso se refere a um processo de rebeldia. Acontece com pessoas cujas feridas não foram tratadas, curadas. A vida lhes trouxe muitas dificuldades e elas se tornaram insensíveis.

Pessoalmente tive uma experiência nesse sentido. Desde minha infância/adolescência fui marcado por situações de vergonha e de humilhações. Nos relacionamentos com as pessoas de minha idade, me considerava o “patinho feio”. Minha situação era de pobreza tanto externa como interna, enquanto o restante do pessoal tinha uma boa condição de vida. Para mim isso se traduziu em ódio, mágoas e ressentimento. Diante disso, estabeleci um decreto sobre minha vida: – A vida tem sido dura comigo, então eu também serei duro com a vida!

Esse decreto gerou em mim um sentimento de indiferença e insensibilidade com as pessoas e rebeldia com a vida. Como Jesus teve que trabalhar para desconstruir tudo isso.

Se você não trata essas situações inflamatórias, pode ocorrer uma infecção generalizada que certamente vai conduzir a morte.

É importante salientar que tudo o que você se propõe a fazer estará em desacordo com a palavra e o propósito de Deus para sua vida.

Situações gerais – “Não te faças negligente para com o dom que há em ti…” – I Timóteo 4:14; “Por esta razão, pois, te admoesto que reavives o dom que há em ti…” – II Timóteo 1:6 – O Senhor capacitou a cada um de nós com dons para que possamos corresponder ao propósito que Ele tem para nossas vidas. E o que temos feito com ele?

Onde está nossa vida de oração, de meditação na palavra, de santidade? O que temos feito com o tempo que Deus tem nos concedido? O que temos feito com os recursos financeiros que Deus tem nos dado? Temos tido vida de comunhão, participando dos cultos no templo? Tenho me dedicado para crescer espiritualmente? Participo de uma célula? O que temos feito em nossas atividades?

Dedicamos tempo demasiado para os nossos próprios prazeres: investimos tempo e dinheiro para o nosso crescimento pessoal/intelectual/ profissional, mas não espiritual.Investimos recursos para trocar de carro, para comprar um celular de última geração, ampliarmos nossa casa, adquirirmos conforto, enquanto a casa de Deus passa dificuldades para suprir suas necessidades, porque não dou o dízimo e minha oferta seja a ser vergonhosa, isso quando a dou.

Temos gastado nosso tempo em coisas que não edificam: com celular, nas redes sociais,na tv, mas não temos tempo para cuidar dos nossos filhos, do relacionamento coma esposa(o), e muito menos com Deus.

Temo suma rede de amizades virtuais, mas não temos um amigo para abrir o coração.

A vida se tornou cansada, vazia, supérflua, religiosa, hipócrita e sem sentido.

“Desperta,ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará”. –Efésios 5:14.– É tempo de voltarmos para o Senhor.

Concluindo a questão do Propósito e Processo:

  1. Quem és tu? Deus conhece como somos, então porque tentamos ser aquilo que Deus não nos criou para ser?
  2. Onde estás? Porque estamos em lugares onde Deus não planejou para nós?
  3. Que fazes? Porque estamos fazendo coisas que Deus não nos mandou fazer?

Deus abençoe! Ap. Sidinei Consteila.