Não Vos Lembreis de Cousas Passadas

Não vos lembreis de cousas passadas, nem considereis as antigas, Eis que faço cousa nova, que está saindo à luz; porventura não percebeis? Eis que porei um caminho no deserto, e rios no ermo.” Isaías 43:18 e 19

No contexto de Isaias 43:14 a 21, Deus está falando com Israel e relembrando-os dos Seus poderosos feitos, quando os resgatou da escravidão do Egito. Fala da trajetória no deserto, da abertura do Mar Vermelho e a grande vitória sobre Faraó e seu exército.

Israel deveria considerar o poder e a intervenção miraculosa de Deus num momento tão crítico, mas não deveria se deter no passado como se Ele fosse agir da mesma forma. É como se Deus dissesse: “Não fiquem lembrando do que aconteceu no passado – isso não é nada comparado ao que estou para fazer, uma coisa completamente nova! Algo que Eu já comecei a realizar; será que vocês ainda não perceberam?”

Muitas vezes temos uma tendência de ficarmos relembrando, com certo saudosismo, as experiências que tivemos no passado, como Deus operara de forma tão maravilhosa, com a nítida impressão de que foi um tempo tão bom, mas que não retorna mais. Assim como foi para com Israel, Deus também chama nossa atenção de que o passado passou. Ele quer nos despertar para algo novo que está surgindo, para que possamos participar do Seu mover em nossos dias.

Quando da Travessia do Mar Vermelho, o Senhor preparou um caminho no mar, e nas águas impetuosas uma vereda, uma porção seca, para que o povo pudesse atravessar a “pé enxuto.”

Mas, nesse novo tempo, haverá uma inversão, ou seja, Ele porá um caminho no deserto e rios no ermo.

Com isso Deus nos sinaliza que estará operando de forma nova, diferente do passado, para que possamos estar abertos, livres para receber o “vinho novo” que ele está preparando para a Igreja.

para que isso aconteça conosco precisamos despir-nos de toda a religiosidade, e experimentar a “vida com abundância” que Jesus Cristo prometeu a todos os que Nele crêem.

O desejo do coração de Deus é de projetar-nos no Seu Reino, numa dimensão de vida expriritual até então não experimentada. Levar-nos a receber do Seu sobrenatural e sermos frutíferos na conquista de vidas para o Senhor Jesus Cristo.