Meditação Escola de Crescimento

logo_ec1A Escola de Crescimento tem incentivado os seus alunos à fazerem meditações, como forma de criar um hábito de leitura e meditar no que foi lido. Pensar sobre o que a Palavra de Deus nos diz, pode nos trazer uma palavra Revelada. Por este motivo, criamos este espaço. Abaixo você poderá ver a meditação feita pelo aluno Claudiomiro Dias Barbosa.

Texto base: Lucas 15:11 a 32; Assunto Paternidade.

Esse filho mais moço me faz lembrar que muitas vezes estamos na casa do nosso pai, temos tudo que precisamos e o suficiente para sermos felizes, mas não nos contentamos e temos que provas as coisas novas e dizemos: “Pai o Senhor não sabe de nada e damos ouvidos a voz desse mundo, experimentando e desperdiçando tudo que temos de bom, dinheiro, tempo, talentos, dons e tudo que deve ser usado para a obra do Senhor e para a edificação do reino. E assim só acumulamos infelicidade, desgosto e sem falar no sofrimento das pessoas que nos amam.

O filho mais velho lembra-me um filho que fica na casa de seu pai, não o abandona fisicamente e é muito obediente, mas por algum motivo desenvolveu uma mentalidade apenas de servo, trabalhador na casa de seu pai e não entendendo que sempre teve acesso ao que é de seu pai, porque tudo que é do pai, também é do filho podendo utilizar e usufruir de tudo.

Entre os dois filhos o que mais eu me identifiquei, foi o filho mais velho e isso sempre me trouxe muita dificuldade no meu relacionamento com Deus. A cada dia peço ao Senhor que eu venha entender que Ele é meu pai e que tudo que Ele tem é meu e que eu possa me deleitar na Sua presença e aproveitar Seu colo e Seus abraços, assim como eu proporciono aos meus filhos.

Que nunca me falte esse anel, pois ele simboliza a autoridade que tenho em cristo, e nunca me falte as alpargatas, pois esse é um novo andar na minha vida.

Glórias a Deus que me deu a alegria de ter filhos, e porque posso prepará-los para que não tenham barreiras com o nosso Deus. Hoje entendo que a força ou a fraqueza de um filho estão relacionada a sua paternidade.

Autor: Claudiomiro Dias Barbosa.