Jesus Explica

Você já deve ter ouvido muitas vezes sobre a parábola do semeador. Vale a pena retomar as verdades ali desvendadas aos discípulos por Jesus, para que possamos fazer uma análise da nossa caminhada cristã com seriedade e assim nos fortalecermos, corrigindo erros e firmando nossos passos em Deus.

Vemos no texto bíblico que Jesus se refere a quatro tipos de pessoas:

  1. Roubados pelo diabo – não conseguem reter a Palavra de Deus e vivem uma vida inoperante e ausente de frutos. Anos de Igreja, mas não conseguem firmar seus passos com Jesus porque estão sempre “de coração aberto” para ouvir e receber qualquer coisa que lhes parece boa, andando conforme os ventos das necessidades humanas urgentes (Pv.14:12);
  2. Desviados pelas provações – são pessoas que iniciam a vida cristã bem, mas após algum tempo acham que não precisam se alimentar (oração, Palavra e comunhão), vindo a morrerem em si mesmos. Uma semente tem uma capacidade interior de germinar, mas não consegue prosseguir e gerar frutos sem estar enraizada no solo;
  3. Sufocados – foram engolidos pelas coisas dessa vida e fizeram para elas um altar de adoração. Deus não está mais no centro, Jesus não é mais o seu rei e nem mesmo ouvem os conselhos do Espírito Santo. Chegam até a dar frutos, mas eles nunca amadurecem e não podem ser aproveitados;
  4. Perseverantes – são os que retêm a Palavra e fazem questão de viver por ela. Seus frutos estão conectados com o propósito eterno de Deus e nem se preocupam com lugares de destaque, mas entendem as responsabilidades que o Senhor colocou em suas mãos. Alimentam a outros e dão continuidade ao reino através das suas sementes.

Em qual dos quatro perfis acima você se encaixa?

Jesus estava explicando essa parábola aos discípulos e não às pessoas que não andavam com Ele. O Senhor queria revelar a eles os mistérios do reino e certamente está fazendo o mesmo conosco, nos chamando a atenção para corrigirmos os rumos e acertarmos o alvo de uma vida cristã genuína. O que temos feito com a semente (Palavra de Deus) que temos recebido? Nossos frutos expressam a grandeza que essa semente representa?