Cumprindo o Propósito de Deus

Chamou Moisés a Josué e lhe disse na presença de todo o Israel: Sê forte e corajoso; porque, com este povo, entrarás na terra que o Senhor, sob juramento, prometeu dar a teus pais; e tu os farás herdá-la. O Senhor é quem vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem tem desamparará; não temas, nem te atemorizes. – Deuteronômio 31:7 e 8

Depois de 40 anos de deserto chegara o momento do propósito de Deus ser cumprido. Cabia aquela geração cumprir esse propósito – a conquista da terra prometida.

Josué 1:2 – “Moisés, meu servo, é morto; dispõe-te, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel”.

Havia uma promessa de conquista por parte de Deus a Israel. Ele estava dando a terra. Como é importante caminharmos, guerrearmos, conquistarmos não na força do nosso braço, mas debaixo da promessa de Deus, pois Ele cumpre o que promete.

Josué 1:3 a 5 – “Todo o lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu prometi a Moisés. Desde o deserto e o Líbano até o grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus e até o mar Grande para o poente do sol será o vosso limite. Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei, nem te desampararei. Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento, prometi dar a seus pais”.

Agora vinha uma palavra específica da parte de Deus para o novo líder que estava sendo levantado para uma nova etapa da vida de Israel. Precisamos entender que Deus tem um tempo para todas as coisas. Moisés fora o grande líder, o grande estadista de Israel desde a saída do Egito até um pouco antes da entrada na terra. Porém, a nova etapa exigia um novo tipo de liderança, motivo pelo qual Deus estava levantando Josué, um líder militar, um guerreiro, pois havia muitos inimigos a serem vencidos.

É importante salientar que debaixo de uma promessa feita pelo próprio Deus, com uma palavra encorajadora e específica para o líder, o que poderia impedir a conquista da terra.

Passaram-se alguns anos e Deus volta a falar com Josué.

Josué 13:1 – “Era Josué, porém, idoso, entrado em dias; e disse-lhe o Senhor: Já estás velho, entrado em dias, e ainda muitíssima terra ficou para se possuir.

O propósito de Deus não fora cumprido, não fora atingido, mesmo diante das palavras proféticas liberadas pelo próprio Deus. O que houve? O que deu errado?

Vamos procurar ver alguns motivos para que o propósito não se cumprisse:

Josué 13:13 – “Porém os filhos de Israel não desapossaram os gesuritas, nem os maacatitas; antes, Gesur e Maacate, permaneceram no meio Israel até o dia de hoje.

Josué 15:63 – “Não puderam, porém, os filhos de Judá expulsar os jebuseus que habitavam em Jerusalém; assim habitam os jebuseus com o filhos de Judá em Jerusalém até os dias de hoje.”

Josué 16:10 – “Não expulsaram os cananeus que habitavam em Gezer, assim, habitam eles no meio dos efraimitas até ao dia de hoje; porém sujeitos a trabalhos forçados”.

A primeira coisa que constatamos é que a ordem de Deus é para que os inimigos fossem destruídos, pois caso contrário Israel se contaminaria com seus hábitos, costumes e deuses.

Israel assim não procedeu, mas ao contrário, consentiu que o inimigo convivesse com ele. Israel fez concessões. Se queremos ter uma conquista plena e vitoriosa o inimigo precisa ser destruído, como povo de Deus não podemos fazer concessões. A cultura do que o inimigo propõe é altamente atraente, pois apela para a carne e o despertar da natureza pecaminosa em nossas vidas. Muitas vezes o povo olha, vê que está errado, mas com frequência está dizendo: – Nada a ver!

O propósito de Deus não foi atingido porque o povo consentiu em que o inimigo vivesse no seu meio.

Muitas vezes o inimigo vem agindo sutilmente e nem percebemos, pois as armas que ele utiliza pode ser a preguiça, comodismo, medo de correr riscos, cansaço, coitadismo – não posso, não consigo, não tenho competência.

Josué 18:3 – “Disse Josué aos filhos de Israel: Até quando sereis remissos em passardes para possuir a terra que o Senhor, Deus de vossos pais deu?

Aqui está a segunda causa. Foram remissos, ou seja, descuidados, negligentes, relaxados, sem atividade, frouxo, vagaroso, lento, tardo.

O sucesso é mais perigoso do que uma crise, pois nos leva a uma zona de conforto, pois pensamos que já conseguimos o suficiente e não precisamos ir adiante.

Deus nos dá a promessa, nos reveste de força e coragem, entretanto somos os responsáveis pelo cumprimento da palavra profética liberada.

Porém, mesmo numa situação desfavorável, sempre surge alguém que manteve uma posição firme diante daquilo que Deus falou.

Josué 14:6 a 15 – Geração de Calebe.

Juntamente com Josué, Calebe foi um daqueles espias que foi ver a terra e veio com um relatório positivo, certo de que Deus era poderoso para conceder a conquista da terra – Ver Números 14:24.

Calebe tinha 40 anos quando foi ver a terra prometida. Se passaram 45 anos. Calebe agora com 85 anos dizia que estava forte como o dia em que Moisés o enviou. Estava pronto para o combate. Qual era o segredo de Calebe para se manter desta forma. Vamos ver que nos versículos 8, 9 e 14 está a resposta: Perseverança.

Algo muito interessante ´que Calebe pede a Josué a cidade de Hebrom, antiga Quiriate Arba. Arba foi o maior homem entre os anaquins, que eram grandes e fortes, os gigantes que ele avistou quando foi espiar a terra.

Diz no final do versículo 15 “E a terra repousou da guerra”. Sabe porque a terra repousou da guerra? Porque Calebe acabou como os inimigos, com os gigantes.

O propósito de Deus permanece para a nossa geração – implantar o reino de Deus na terra.

Deus abençoe!

Ap. Sidinei Consteila.